Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

O estudo de Geociências na Amazônia teve início com a criação do Curso de Geologia na Universidade Federal do Pará em dezembro de 1963, implantado em março de 1964, ligado diretamente à Reitoria, como curso independente.

Em 1965, foi criado o Núcleo de Geociências, constituído pelos cursos de Geologia e Geografia, onde o Curso de Geologia se caracterizou por independência administrativa e acadêmica, vestibular e professores próprios, e pelo regime didático seriado que vigorou até 1971.

Em 24 de dezembro de 1970, foi criado o Centro de Ciências Exatas e Naturais (CCEN), que agregou os Departamentos de Geologia, Matemática, Física e de Química, sendo dissolvido, conseqüentemente, o Núcleo de Geociências. Iniciou-se assim a fase da Reforma universitária, que implantada de fato a partir de 1971, trouxe grandes modificações acadêmicas e administrativas. O Curso passou para o regime de créditos e o vestibular tornou-se unificado, segundo as áreas de conhecimento.

A partir de 1972, várias transformações ocorreram. Foram implantadas a pesquisa e a pós-graduação, através do Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Geofísica (PPPG). E, em 1975, foi criado o Núcleo de Ciências Geofísicas e Geológicas (NCGG). Para esta nova fase foram convidados vários professores e pesquisadores com títulos de doutor e mestre, que viviam no sul do país, em sua grande maioria paraenses. Em 1975 foi criado o Curso de Graduação em Meteorologia.

Em 1984 foi aprovada pelo MEC a transformação do Núcleo de Ciências Geofísicas e Geológicas em Centro de Geociências. No ano de 1999, foi criado o Curso de Bacharel em Oceanografia e, em 2003, o Curso de Graduação em Geofísica. E por fim, em 2007, o Centro de Geociências passou a ser chamado de Instituto de Geociências, que é sua denominação atual.

 

O Instituto é composto pelas seguintes subunidades:

  • Faculdade de Geologia (FAGEO)
  • Faculdade de Meteorologia (FAMET)
  • Faculdade de Oceanografia (FAOC)
  • Faculdade de Geofísica (FAGEOF)
  • Programa de pós-graduação em Geofísica (CPGF)
  • Programa de pós-graduação em Geologia e Geoquímica (PPGG)
  • Programa de pós-graduação em Ciências Ambientais (PPGCA)
  • Programa de pós-graduação em Recursos Hídricos (PPGRH)
  • Programa de pós-graduação em Gestão de Riscos e Desastres Naturais (PPGGRD)
  • Programa de pós-graduação em Mestrado Profissional em Rede Nacional para o Ensino de Ciências Ambientais (PROFCIAMB)
  • Programa de pós-graduação em Oceanografia (??)

 

A pesquisa no Instituto de Geociências concentra-se nos campos da Geologia, Meteorologia, Geofísica e em Oceanografia. As principais áreas de pesquisa são:

  • Descargas Elétricas Nuvem-Solo na Região de Belém;
  • GEMC – Grupo de Estudos Marinhos e Costeiros;
  • Geoeletromagnetismo aplicado;
  • Geofísica de Poço;
  • Geologia Básica;
  • Geologia Econômica;
  • Geologia Estrutural e Geotectônica;
  • Geologia Isotópica;
  • Geoquímica Ambiental;
  • Mineralogia e Geoquímica Aplicada;
  • Modelagem e Inversão;
  • Modelagem Meteorológica da Amazônia;
  • Modelo Gerencial da Pesca;
  • Pesquisa em Hidrogeologia;
  • Petrologia de Granitóides;
  • Sensoriamento Remoto de Ecossistemas Tropicais;
  • Sistemas e Modelos em Biomas Agrícolas e Florestais;

 

As pesquisas no Instituto são amparadas por cerca de 40 laboratórios, que eventualmente prestam serviço à comunidade e a empresas privadas. O Instituto dispõe também de uma Biblioteca Setorial com literatura específica nas áreas de Geociências(Geologia, Geooquímica, Mineralogia, Geofísica e Meteorologia), na forma de livros científicos, revistas, boletins, periódicos e mapas. Conta ainda, com um Museu de Geociências, cujo acervo inclui amostras de minerais, rochas, fósseis e mapas. O Museu encontra-se aberto à comunidade.

registrado em:
Fim do conteúdo da página